Slider

RPG

Reeducação Postural Global

rpg

A RPG é uma técnica que foi desenvolvida na França por Philippe Emmanuel Souchard. É a terapia mais indicada para a correção das alterações posturais (escoliose, hipercifose, gibosidade), na qual o fisioterapeuta corrige deformidades na coluna vertebral, melhorando a postura e a qualidade de vida. O tratamento é individualizado e aplicado por fisioterapeutas especializados.

A TÉCNICA

A RPG inicia com uma avaliação global, onde se observam todas as desarmonias do corpo, e se identificam quais cadeias musculares são responsáveis por essas alterações. O trabalho é feito através de posturas ativas, ou seja, o fisioterapeuta interage todo o tempo com o paciente, dando o comando verbal (orientado), além de corrigir através de manobras a postura. Tais posturas visam ao equilíbrio do tônus muscular (fazer com que o tônus oscile dentro de uma faixa de normalidade). Busca-se a melhora da postura através da mudança da imagem corporal.

A RPG trata o indivíduo como um todo, buscando recriar as curvaturas fisiológicas, visando uma boa postura, bem estar e alívio das dores em geral.

Realiza-se uma a duas vezes por semana, conforme à avaliação com duração de uma hora.

Indicações para realizar a RPG:

Hérnias Discais

Hérnia de disco é a projeção da parte central do disco intervertebral (o núcleo pulposo) para além de seus limites normais (a parte externa do disco, o ânulo fibroso). Ocorre geralmente póstero-lateralmente, em virtude da falta de ligamentos que sustentem o disco nessa região.

O disco intervertebral é uma placa cartilaginosa que forma uma almofada entre os corpos vertebrais. Após traumatismos (quedas, acidentes automobilísticos, esforços ao levantar, entre outros), a cartilagem pode ser lesada, comprimindo raízes nervosas. Em qualquer local da coluna vertebral pode haver herniação discal.

  • Disco cervical:
    • Dor, rigidez na nuca, nos ombros e na escápula;
    • Dificuldade de movimentação dos braços, com sensação de formigamento (parestesia).
  • Disco lombar:
    • Dor lombar, no quadril e nas coxas, irradiando-se para a panturrilha e o tornozelo;
    • Dor acentuada ao espirrar, levantar peso, etc.;
    • Deformidade postural da coluna;
    • Dificuldade para andar e flexionar a coluna;

Algumas hérnias de disco podem ser tratadas sem a necessidade de cirurgia, no entanto é necessário avaliar o tipo de hérnia. Existem diversos hospitais que realizam a cirurgia.

As sequelas podem variar desde desvios ao andar, perda parcial dos movimentos até impotência sexual.

Hérnias de disco extrusas (hérnias em estado mais avançado da patologia) podem ser tratadas também com fixação por implantes — as chamadas artrodeses. E também com um tratamento mais novo conhecido como fixação dinâmica, ou próteses de disco, nas quais se preserva a mobilidade de articulação.

Desvio Postural - Escoliose

Escoliose

A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da coluna no plano frontal acompanhado de uma rotação e de uma gibosidade (corresponde a uma látero-flexão vertebral).

A escoliose é uma deformidade vertebral de diversas origens. As escolioses de um, ou outro grupo etiológico, podem ter prognósticos muito diferentes, pela distinta progressividade e gravidade de suas curvas. Para melhor entender a definição de uma escoliose, é preciso opô-la à atitude escoliótica:

  • Sem gibosidade
  • Sem rotação vertebral

A atitude escoliótica, é diferente da escoliose, e deve-se, em 8 entre 10 casos, a uma desigualdade de comprimento dos membros inferiores, e desaparece com o paciente na posição horizontal.

Classificação quanto a etiologia:

1. Escoliose não estruturadas:

  • 1. Escolioses posturais: frequentes em adolescentes, as curvas são leves e desaparecem por completo com a flexão da coluna vertebral ou bem com o decúbito
  • 2. Escolioses secundárias e dismetria: a diferente longitude dos membros inferiores levam a uma obliqüidade pélvica e secundariamente a uma curva vertebral. A curva desaparece quando o paciente senta-se ou ao compensar a dismetria com a alça do sapato correspondente. Da mesma forma pode corrigir o comprimento da perna (sem cirurgia) caso procure um especialista.

2. Escoliose estruturada transitoriamente:

  • 1. Escoliose ciática: secundária a uma hérnia discal, pela irritação das raízes nervosas. Com a cura da lesão desaparece a curva
  • 2. Escoliose inflamatória: em casos de apendicite ou abscessos perinefríticos

3. Escoliose estruturada:

  • 1. Escoliose idiopática: hereditária na maioria dos casos. Provavelmente se trata de uma herança multifatorial. É o grupo mais frequente das escolioses. Segundo a idade de aparição há três tipos:
    • 1. Infantil – antes dos três anos de idade: Geralmente são muito graves, pois ao final do crescimento podem vir a apresentar uma angulação superior a 100 graus
    • 2. Juvenil - desde os três até os 10 anos
    • 3. Adolescente - desde os 10 anos até a maturidade: Após a primeira menstruação e ao final da puberdade antes da maturidade óssea completa
  • 2. Escoliose congênita: provavelmente não é hereditária, se não o resultado de uma alteração ocorrida no período embrionário
    • 1. Defeito de forma vertebral
    • 2. Vértebra em cunha
    • 3. Hemivértebra
    • 4. Defeito de segmento vertebral
    • 5. Unilateral (barra)
    • 6. Bilateral (bloco vertebral)
    • 7. Funções costais congênitas
    • 8. Complexas
Desvio Postural - Lordose

Lordose é um termo anatômico usado para designar a curvatura lombar da coluna vertebral. Uma acentuação da lordose lombar é chamada hiperlordose.

Os músculos abdominais fracos e um abdome protuberante são fatores de risco. Caracteristicamente, a dor nas costas em pessoas com aumento da lordose lombar ocorre durante as atividades que envolvem a extensão da coluna lombar, tal como ficar em pé por muito tempo.

Desvio Postural - Cifose

A cifose, vulgarmente chamada de corcundez (a pessoa afetada sendo popularmente chamada de "corcunda"), é definida como um aumento anormal da convexividade anterior da coluna vertebral, sendo as causas mais importantes dessa deformidade, a má postura e o condicionamento físico insuficiente. Doenças como espondilite anquilosante e a osteoporose senil também ocasionam esse tipo de deformidade nos adultos. Nos jovens a osteocondrite é a principal causa de deformidades mais acentuadas. É bastante tratada por fisioterapeutas ortopedistas.

A hipercifose é o aumento da curvatura da região dorsal, ou seja, é o aumento da convexidade posterior no plano sagital, podendo ser flexível ou irredutível.

Nós podemos classificá-la como sendo postural, Scheuermann (osteocondrose espinhal), congênita, traumática, metabólica, inflamatória - mal de Pott (TBC),tumoral e outras.

O aumento da curvatura cifótica promove alterações anatômicas ocasionando o dorso curvo, gibosidade posterior, encurtamento vertebral e pode ocorrer déficit respiratório, por reduzir a capacidade de sustentação da coluna vertebral e também a diminuição da expansibilidade torácica.

A cintura escapular torna-se projetada à frente, com deslocamento das escápulas para baixo e para frente. A musculatura peitoral torna-se hipertônica e a dorsal hipotônica. A cabeça é projetada à frente da linha de gravidade, ocasionando uma hiperlordose cervical.

Toda hipercifose, de um modo geral, tem sua lordose compensadora, cervical e lombar, para dessa forma poder manter a sustentação do corpo mesmo que descompensada.

A cifose postural é muito comum na adolescência, tanto nos meninos como nas meninas. Estes adquirem maus hábitos no sentar, andando, estudando e até mesmo em pé. No adulto, em mulheres idosas, a cifose pode aparecer devido a osteoporose, cujas vértebras em consequência de uma rarefação ósseas, ficam fracas ou em forma de cunha.

Também localizamos a cifose na adolescência em meninos altos, como forma de inibir-esconder sua estatura, para não se destacar perante os colegas de mesma idade. As meninas com mamas muito grandes também adotam uma postura cifótica com o objetivo de escondê-las. No entanto, se estes adolescentes não receberem uma orientação a tempo e adequada, a cifose que inicialmente é postural, pode tornar-se estrutural.

O tratamento para cifose postural apresenta bons resultados quando ainda não temos deformidades estruturais nos corpos vertebrais e o mesmo deve ser realizado ainda na fase de crescimento da criança.

A cifose pode localizar-se na região dorsal, dorso-torácica e toracolombar. Neste último caso, encontraremos uma retificação da lordose lombar, contribuindo para a redução da mobilidade desta região.